As camadas do desenvolvimento Web

World Wide Web Se eu aprendi alguma coisa com o xHTML, foi: Separar marcação, estilos e comportamento tornam a sua vida muito mais feliz.

Assim como tratando-se de acessibilidade, quando falamos em “camadas de desenvolvimento Web“, estamos (a grosso modo) falando de semântica. E nisso, o HTML5 vem nos presenteando com tags supimpas como a section e article.

Vamos conhecer um pouco mais sobre desenvolvimento e padrões Web?

Marcação com uma boa dose de semântica

Representação de documentos HTML Algumas referências vão chamar esta camada de “marcação”, outras vão direto ao ponto chamando-a de “informação”. Eu gosto de pensar que é através da marcação que damos significado a informação.

Este conceito foi fortemente utilizado no xHTML (devido ao seu vínculo com o próprio XML). Para dar significado a nossa informação através de hipertexto, utilizamos o HTML … e nada mais!

É nesta camada que “diremos” às máquinas que determinada parte da nossa informação é mais relevante que a outra, que determinado bloco na verdade é um conjunto de meta-informação ou que o bloco no fim do arquivo contém informações menos relevantes. Sendo mais minucioso, é nesta camada que diremos o que é um parágrafo, o que é um título, um vínculo com outro documento, um trecho de código que mereça ênfase, uma lista não-ordenada que servirá como menu de navegação, etc.

Não importando qual o tipo de sistema que interpretará esta informação (crawlers, navegadores, leitores de e-mail ou leitores RSS), eles sabem (através do padrão HTML) do que aquela informação se trata e como eles devem lidar com ela.

Embelezando com estilos

Ícone representando documento CSS Antes de fazer minha primeira aula de Tableless, eu nem fazia ideia de quão importante são as folhas de estilos. Você já deve imaginar como eu desenvolvia para a Web: WYSIWYG cuspindo tabelas e mais tabelas, com milhares de atributos “font” e “color” espalhados por dezenas de arquivos.

  • Um trecho de informação ser da cor verde ou azul irá afetar a semântica? Salvo exceções… não.
  • Um título h1 ser de tamanho 38px vai afetar a semântica? Não.
  • A imagem de fundo utilizada no topo deste blog altera o siginifcado deste post? Não.
  • Tabelas posicionarem elementos na tela é algo semântico? Não!

O Tableless, além de defender que as tabelas devem ser usadas apenas para dados tabulares, prega que a informação deve estar separada da formatação. Levando em conta que hoje possuímos vários tipos de navegadores (desktop, mobile, embed, leitores de tela, etc), a informação deveria ser a mesma para todos os navegadores, mas a formatação não.

Com o CSS e as folhas de estilos, aplicar diferentes formatações para um mesmo conteúdo passou a ser trivial. Antes, quando você tinha a formatação mesclada a informação, você era obrigado a reescrever a informação para diferentes formatos.

Outro exemplo, meu leitor RSS não utiliza a formatação que eu escrevi para o meu site … ele utiliza uma formatação própria. Estamos permitindo que nossa informação seja propagada em uma espécie de “acoplamento fraco”. Para o pessoal que curte uma buzzword, essa é a premissa da Web 3.0.

Interação e comportamento

Ícone representando documento Javascript O Javascript é interpretado pelo navegador. Com ele, nossas aplicações Web podem fazer com que o navegador tenha um comportamento (ou interaja com os elementos) de uma maneira diferente da usual.

Por exemplo, podemos fazer uma página inteira ser aberta de forma assíncrona através de Ajax, ou podemos fazer com que nossos formulários sejam validados antes mesmo da informação ser enviada ao servidor. Você pode notar que fazemos com que o navegador interaja com nossa informação de uma forma “fora do padrão”… já ouvi pessoas chamando esta camada de “interação”, outras de “comportamento”. Na minha opinião, a última opção faz mais sentido.

Os seus scripts, assim como os seus estilos, não devem estar “mesclados” com a informação. Pense comigo, se a informação pode ser acessada por leitores RSS, é bem provável que eles não entendam Javascript (ou que não entendam na plenitude de um navegador Web). Certo?

Considerações finais

Mas afinal de contas, como separo as camadas de desenvolvimento? Muito simples:

  • Informação deve ser sempre acessível, indiferente do estilo ou comportamento da sua aplicação (ou seja, só HTML)
  • Qualquer espécie de formato que você irá aplicar deve estar contido em folhas de estilo CSS (ou seja, fontes, tamanhos, cores)
  • Javascript não devem estar misturados com HTML! Nem mesmo em atributos como onClick (com a jQuery isso se torna muito fácil)

Sei muito bem que na prática a coisa pode não ser bem assim. Os navegadores estão preparados para lidar com esse tipo de situação, mas não caia nessa! Separar o seu desenvolvimento em camadas só faz bem para você, para o seu cliente e para a sociedade.