Django e Cache: Uma dupla de alta performance - Parte 1

Logo do Django Embora o caching HTTP seja essencial para qualquer aplicação Web, (IMO) essa modalidade de cache deve ser encarada como um acréscimo à experiência de uso, e não necessariamente como uma “arma” contra problemas de performance. Os usuários poderão abdicar desta funcionalidade, e aí a sua aplicação não poderá depender do protocolo para atingir tempos de resposta atrativos.

Desenvolvedores Django podem contar com boas soluções, do próprio framework e de terceiros, que podem melhorar o caching das aplicações (e consequentemente a performance). A grande notícia é que essas ferramentas são fáceis e práticas. Vamos conhecê-las?

O Memcached

Eu juro que tentei escrever uma introdução para este tópico, mas a descricão contida no site oficial do Memcached é tão boa, que vou simplesmente copiá-la:

Memcached is an in-memory key-value store for small chunks of arbitrary data (strings, objects) from results of database calls, API calls, or page rendering.

Em outras palavras, é uma ferramenta open source, que tem como função o armazenamento (e gerenciamento) de resultados de queries, conteúdo de arquivos, processamentos avançados, ou qualquer tipo de informação, em memória (um meio muito mais rápido de ser lido que em disco, por exemplo). Embora esse potencial possa ser utilizado para os mais diferentes fins, é como mecanismo de caching que ele se destaca.

O Memcached foi construído em um esquema “cliente-servidor”, e é possível utilizá-lo com uma grande quantidade de linguagens de programação. Mas o que eu acho mais bacana na ferramenta é a possibilidade de utilizá-la de forma distribuída. Isso propicia uma flexibilidade muito maior na hora de construirmos a infraestrutura para servir as nossas aplicações Web.

Mas a “cereja do bolo” é: O Django funciona muito bem com o Memcached.

Framework de cache do Django

O uso do Memcached não é obrigatório! Na verdade, podemos utilizar diferentes backends para diferentes tipos de mecanismos de cache. O Django possui algumas opções disponíveis, sem necessitar utilizar nenhum “código de terceiro”. Temos a opção de fazer cache em disco, banco de dados ou até mesmo “simularmos” a interação com cache (muito bom para ambientes de desenvolvimento). Leia mais sobre.

Neste post, vamos nos concentrar na configuração do Django com o Memcached. Para instalar, basta compilar através do make:

$ wget http://memcached.org/latest
$ tar -zxvf memcached-1.4.13.tar.gz
$ cd memcached-1.4.13
$ ./configure
$ make && make test
$ make install

Utilizando a python-memcached como binding Python para o Memcached, basta adicionarmos o seguinte backend ao settings.py:

CACHES = {
    'default': {
        'BACKEND': 'django.core.cache.backends.memcached.MemcachedCache',
        'LOCATION': '127.0.0.1:11211',
        'TIMEOUT': 60,  # Default: 300 segundos,
        'KEY_PREFIX': 'djcache',
    }
}

Onde:

  • BACKEND: É o módulo responsável por se comunicar com o Memcached. Estamos utilizando este backend pois optamos pela python-memcached.
  • LOCATION: É a porta (ou socket) onde o serviço do Memcached está respondendo. A porta padrão é a 11211.
  • TIMEOUT: É o tempo de vida do informação “cacheada”. Acima informamos 60 segundos, o padrão é 5 minutos.
  • KEY_PREFIX: É um valor que precederá todas as chaves que utilizarmos com o Django. Bem útil para prevenir que duas aplicações utilizem o mesmo valor no Memcached (quando este não é o comportamento esperado).

Conheça outras opções de configurações.

Considerações finais

Pronto! As ferramentas estão apresentadas e estamos prontos para partir para uma abordagem prática.

O Django já vem “preparado” para trabalhar com mecanismos de cache. O seu esquema de backends permite que você “acople” diferentes módulos para atender os mais exóticos mecanismos de cache, sem necessariamente precisar alterar código nas suas apps.

É bem verdade que o Memcached é um tanto “tradicional”, e que hoje existem alternativas mais “atrativas”, como o Redis. Na prática, depende muito do cenário no qual você está inserido, por exemplo, no Globoesporte.com utilizamos o Memcached e ele nos atende muito bem.

No próximo post vamos partir para uma abordagem mais prática, cobrindo as diferentes maneiras de utilizar caching com Django.

Até lá...

Referências