Posts com desenvolvimento

Ramilificando as suas APIs

Logotipo do RAML

Você já tem a sua API! Ela é REST, performa muito bem, e todos os seus aplicativos estão conversando com a mesma. Vem uma oportunidade de negócio de abrí-la para consumo de parceiros. Agora não basta só a técnica perfeita, você precisa de especificação, documentações, exemplos de uso e validadores para garantir que os contratos da sua API não sofram alterações drásticas, deixando seu cliente na mão.

Django, Sass e ES6 no Heroku com Multiple Buildpacks

Logo do Heroku

Anteriormente, falamos sobre como utilizar o django-compressor com Sass e ES6. Se você quisesse utilizar o Heroku, com uma aplicação Python executando operações de build em Node.js, seria uma tarefa um tanto árdua, que exigiria um certo nível de paciência na construção do seu próprio Buildpack. Hoje, com o Multiple Buildpacks, isso não é mais necessário.

Django e Sass com django-compressor

Logo do Django e Sass

Eu sempre gostei da proposta do django-compressor: Concatenar e comprimir estáticos, utilizando como agrupadores os blocos da engine de templates do Django. Além de manter a declaração dos assets no HTML, ele ainda abre uma margem interessante para quando você precisa customizar um grupo de estáticos para uma determinada página.

REST - Parte 2

Logotipo REST

No post anterior, demos uma pequena introdução ao conceito de REST e fizemos um raso comparativo com o seu "rival", o SOAP. Nesse artigo falaremos mais sobre como interagir com APIs REST utilizando os verbos do protocolo HTTP, e a biblioteca hug, que nos ajudará a ilustrar como uma API funciona na prática.

O simples e poderoso Pyenv

Esquema explicando o Pyenv (mateuspaduaweb.com.br)

Num certo dia, eu resolvi deixar a preguiça de lado e atualizar a versão do Mac OS X para o El Capitan. Na cara e coragem, e dotado de uma ingenuidade ímpar, simplesmente apertei o botão Update e deixei com que os deuses resolvessem qual seria o destino do meu workspace após essa fatídica operação.

Vivendo sem o Grunt

Logotipo do Grunt

No meu primeiro contato com o Grunt, ele não me convenceu. Qual era a necessidade de um task runner se eu já tinha o Makefile? O mesmo valia para o build de estáticos... Frameworks como o Django já possuíam um pipeline de concatenação e minificação, não sendo necessário que um processo externo interferisse em algo que (até então) funcionava muito bem.